A HISTÓRIA DO VINHO DO PORTO




 

Portugal é um país de vinho antigo, que cumpre todos os requisitos para os grandes vinhos, pois possui diferentes zonas climáticas para cada tipo de vinho, um solo fértil e uma incrível diversidade de castas. Uma das cidades mais famosas de Portugal e ligada pelo Douro é a cidade do Porto, região que ficou famosa pelo Vinho do Porto.

No final do século XV, Lisboa era o centro do comércio mundial. Os grandes navegadores estenderam uma rede de comércio na África, Índia e Brasil. No último terço do século XVII, os comerciantes ingleses começaram a ter novamente fornecedores portugueses. Primeiro, do Minho, onde o vinho quente era mais barato, e depois do Douro, onde os vinhos eram escuros e fortes.

Em 1703, o Tratado de Methuen foi assinado e, em 1860, Portugal passou a ter benefícios tarifários para negociar com Inglaterra. No século XVIII, foi estabelecido o primeiro comerciante de Vinho do Porto no Norte de Portugal. A grande procura provocou uma queda maciça de qualidade, e para retomar a confiança, foi fundada a Companhia Geral dos Vinhos do Alto Douro por Marquês de Pombal, em 1756, estabilizando novamente a qualidade e os preços dos Vinhos do Porto, sendo que os melhores vinhos eram exportados. Uma das primeiras medidas tomadas pela Companhia incluiu a determinação da área de produção. O Vineyards foi registado para evitar fraudes e garantir a origem. Após a queda de Pombal, os volumes de exportação duplicaram.

 

Oídio e filoxera

 O bolor surgiu no Douro, pela primeira vez, em 1848, e devastou a região entre 1851 e 1856, reduzindo o rendimento até metade nos anos 40. Finalmente, a doença foi mantida sob controlo e as novas vinhas foram plantadas. Quando a produção atingiu o seu nível anterior, em 1868, apareceu a filoxera, que se espalhou, em Portugal, ao longo dos dez anos seguintes.

 

Ataques sobre a política

Em 1933, a Casa do Douro foi fundada simultaneamente com o Instituto do Vinho do Porto e Aliança, o Port Wine Shippers Association, cujas atividades foram coordenadas. O IVP monitorou a qualidade dos Vinhos do Porto e controlou a quantidade dos vinhos que estavam a chegar ao mercado. O Instituto do Vinho do Porto deve proteger a marca e deve ser responsável pelo marketing mundial.

As cooperativas criadas por Salazar sobreviveram à revolução de 1974. Este proibiu a comercialização direta do produtor da quinta sem passar por um intermediário. Face a esta situação, Miguel Champalimaud deu o seu contributo para que o monopólio fosse abolido e para que existisse uma maior liberalização na produção, de modo a introduzir definitivamente o mercado livre.

No dia 1 de janeiro de 2004, foi criada uma nova organização oficial para certificar e controlar os vinhos doces (Vinho do Porto). Esta organização é responsável pela região do Douro. 




Sobre

A Gomes Weine importa vinhos de Portugal, Espanha e França e conta com mais de 30 anos de experiência na sua comercialização. Os vinhos Gomes Weine destacam-se pela sua grande qualidade sendo provenientes dos melhores produtores e elaborados pelos grandes enólogos.

Tel:
++41 61 303 04 50
Fax: 
++41 61 303 04 54

   
E-mail
gomesweine@gomes-weine.ch
   
Horário de abertura
2ª feira a 6ª feira: 09:00 - 12:00 e 14.00 – 18.30
Sábado: 10.00 – 16.00
Restantes horários por acordo